sexta-feira, 27 de outubro de 2017

TAUTOGRAMA EM "A"


Amantes,
Antigamente amavam ardentemente
Andavam abraçados, atrelados

Agora andam alucinados
Agitados, atropelam-se, agridem-se

Adulteram , ancoram amarguras
Atiram-se ao abismo, afundam-se
Angustiados, acuam-se, aniquilam-se
Adeja atitudes abomináveis
Adeus auspiciosos amores

dinapoetisadapaz

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Percebendo, pensando e poetando (Tautograma em P)


Poeta pensa, percebe e profetisa,
Precioso pensamento prolifera palavras,
Palavras passeiam, pretendem prosseguir.

Poeta, prazerosamente poetisa:
Penúrias, passado, presente, paixão, perdão, pobreza, pureza...
Patenteia, permite publicação, presenteia...
Poema peregrino pede passagem,
Propaga-se para povo polido e povão!

Poeta passeando por prateleiras poeirentas,
Presencia poemas perdidos, pobre poeta!
Pesaroso, profere: Produção parada...

Preciso perseverar, poesia perdida?
Patético, partiu pensando...
Primavera parindo perfume!
Poeta precisa parir poemas!


sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Pedra do Ingá


No oeste da Paraíba, a 46km de Campina Grande e a 109km de João Pessoa, localiza-se o primeiro monumento arqueológico tombado como patrimônio nacional em 1944: a pedra do Ingá. Identificado pelos arqueólogos como “itaquatiara”, o ... - Veja mais em https://viagem.uol.com.br/noticias/2013/02/14/pedra-do-inga-na-paraiba-guarda-enigmas-sobre-os-primeiros-habitantes-do-brasil.htm?cmpid=copiaecola

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Acróstico (Um passeio pela saudade)


















C- ONTEMPLAVA O OCASO,
O- CENÁRIO EXIBIA ARES DE SAUDADE
N- AQUELA TARDE DE VERÃO!
T- RAGUEI  A SUA AUSÊNCIA COMO SE FOSSE UMA BEBIDA
E- ERAM  LEMBRANÇAS AINDA VIVAS
M- OMENTOS TÃO NOSSOS ESTAVAM ALI...
P- ERTENCIAM  ÀQUELE RECANTO
O- SOL JÁ SE ESCONDIA... MEU CORAÇÃO TE SENTIA
R- ISOS E LÁGRIMAS SE FIZERAM  PRESENTE
A- LGUMAS PALAVRAS  BALBUCIEI...
N- OSSO TELEPÁTICO ENCONTRO ACONTECEU!
E- A TUA IMAGEM QUE ALI  ESTAVA...
O- UVIU MEUS LAMENTOS E PARTIU!


sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Por do Sol Literário em João Pessoa



Hotel Globo restaurado

Hotel Globo reabre as portas para visitação nesta 6ª

Um pôr do sol embalado com muita música, literatura e poesia. Foi assim que aconteceu a primeira edição do “Pôr do Sol Literário” promovido pela confraria Sol das Letras, em parceria com a Coordenação de Patrimônio Histórico (Copac) da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP). O evento reuniu na tarde desta quinta-feira (20), na varanda do Hotel Globo, situado no Centro Histórico da Capital, artistas de vários seguimentos da arte paraibana, que tiveram a oportunidade de apresentar seus trabalhos.


O “Pôr do Sol Literário”, que acontecerá toda terceira quinta-feira de cada mês, contou com recital de poesia, mostras de livros, exposições de fotografia, além de apresentações musicais dos convidados Paulo Vinícius, Zé Neto e Tiago Ramalho, que além de declamar poesias de autoria própria, também cantou durante o pôr do sol a Ave Maria.



De acordo com coordenador da Copac, Rui Leitão, o objetivo é transformar o Hotel Globo em um centro de promoção da cultura e arte paraibana. “Estamos hoje iniciando uma programação de eventos com o intuito de movimentar nosso cenário artístico e cultural. Para tanto, parcerias são bem vindas. É o caso da confraria Sol das Letras. Fora isso atualmente nós temos toda a estrutura para receber exposições de exposições de arte, fotografia, pintura além de apresentações musicais”, relatou.



Educação Patrimonial

Rui Leitão ainda afirmou que a Copac também está desenvolvendo um trabalho de educação patrimonial. “Iremos convidar estudantes da rede municipal, estadual e particular de ensino a visitar nossas instalações, para que as novas gerações possam conhecer e valorizar o riquíssimo patrimônio histórico e cultural de João Pessoa”, revelou.


Segundo o presidente da confraria Sol das Letras, o jornalista e escritor Hélder Moura, a proposta do ‘Pôr do Sol Literário’ é a difusão da literatura da Paraíba para os próprios paraibanos e para que pessoas de outros Estados também possam conhecer o que se produz dentro da literatura paraibana.

                                     


“Recebemos com muito contentamento a revitalização do Hotel Globo por tudo que ele representa na história de João Pessoa, especialmente por sua localização, no Centro Histórico da capital, que é a conciliação perfeita entre a história e a cultura. A Paraíba tem grande expoentes nas áreas da literatura, música, artes plásticas e o Hotel Globo é o ponto de referência para resgatar essa rica vocação cultural”, avaliou.


A estudante de Letras e poetiza, Analice Chaves foi a convidada desta primeira edição para declamar suas poesias. A jovem de apenas 18 anos, que já tem um livro publicado ‘Setembrices’, afirmou da importância de revitalização do Hotel Globo. “Eu me sinto acolhida no meio literário. Fiz muitos amigos e nada melhor que nos reunirmos nesse cenário tão bonito. Nos prendemos muito à orla de João Pessoa e nos esquecemos de quanta história e beleza encontramos aqui. Abrir as portas do Hotel Globo é abrir as portas da nossa história. É não deixar nossa cultura morrer”, declarou.

Já a servidora pública e turista do estado de Goiás, Maísa Alves de Araújo, ficou encantada com o Hotel Globo. “Vim a convite de um amigo. Estou amando conhecer a memória do nosso País, já que fiquei sabendo que João Pessoa é a terceira cidade mais antiga do Brasil. Esse lugar, o Hotel Globo, é muito bonito e tem uma vista maravilhosa. João Pessoa superou minhas expectativas”, elogiou.